SÃO CIPRIANO: A Lenda do Bruxo que Não Renegou Cristo

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

São Cipriano, O Bruxo.

Nunca irei me esquecer do momento que li esta inscrição numa capa prateada em uma livraria durante uma das minhas peregrinações nas manhãs sabáticas. Um iniciante no mundo literário, apesar de já estar quase completando minha segunda década de vida, ainda me via arraigado pelo temor inocente dos dogmas religiosos em mim incutidos durante minha infância.

Assim, passei sem nem tocar a capa do livro que nunca saiu da minha cabeça, como uma foto eternamente emoldurada na parede em um corredor.  Em conversas futuras tomei contato com o teor do conteúdo ali escrito, e perdi o interesse por já encarar certos assuntos de modo mais cético e menos temeroso.

Mas algo nunca deixou de me incomodar. Conhecia um sem número de nomes de santos e homens de valor no sentido religioso, entretanto, quem teria sido São Cipriano? Existiu realmente ou não passaria de mais um mito ou figura alegórica?

Para meu total deleite, descobri, em algumas pesquisas, que não existiu um São Cipriano, mas dois! E, apesar de especulações acerca de serem a mesma pessoa, registros mostram que os dois santos homônimos coexistiram por apenas oito anos.

SÃO CIPRIANO, O “PAPA AFRICANO”…

Resultado de imagem para Táscio Cecílio CiprianoO primeiro, nasceu por volta do século III d. C., batizado como Táscio Cecílio Cipriano, em uma família pagã e abastada do norte da África. Se tornou advogado e converteu-se ao cristianismo aos trinta e cinco anos, sendo proclamado Bispo de Cartago, se tornando a pedra fundamental da Igreja na África.

Além disso, se firmou na história como um orador sem par e produziu manuscritos de valor inestimável para compreender a Igreja primitiva, sendo um dos autores mais populares da antiguidade e Idade Média dentre os estudiosos.

A partir do ano 249 d. C. sofreu uma perseguição feroz do imperador Décio, se escondeu, fugindo de cidade em cidade, mas sempre executando seu trabalho religioso até ser preso, processado e morto em 14 de setembro de 258. Virou mártir da Igreja, ficou conhecido como o “Papa Africano” e sua linha de pensamento filosófico o credencia, seguindo alguns de seus estudiosos, como uma semente do protestantismo no seio do catolicismo primitivo.

A pesquisa me levou a descobrir que, apesar de costumeiramente associados como uma pessoa só, o livro cuja capa me impactou fora escrito por outro Cipriano, não de Cartago, mas da Antioquia, também no norte da África, cuja lenda é tão interessante quanto impossível de se crer por suas pinceladas de espirito catequista infantil.

A LENDA DE SÃO CIPRIANO, O BRUXO…

2763b-santos-cipriano-y-justina
São Cipriano e Santa Justina

São Cipriano, o bruxo, ou o feiticeiro, possui uma biografia tão formidável quanto improvável, tamanho o seu teor catequista.

Este personagem peculiar se destacou em dois campos religiosos opostos. Foi um estudioso destacável do ocultismo por toda a sua vida e, posteriormente, teria se convertido ao catolicismo quando conheceu a pura jovem Justina.

Sua fama cresceu ao longo dos séculos por ter escrito o Livro de São Cipriano, uma espécie de grimório que traz encantamentos e sortilégios diversos.

A lenda diz que seu berço foi em uma abastada família pagã, chegando ao mundo no ano de 250 d. C., na Antioquia. Desde infante, era preparado intelectualmente nos mais diversos assuntos como astrologia, feitiçaria, alquimia, astrologia e adivinhação.

Logo os limites de Antioquia se tornaram apertados para sua mente privilegiada e iniciou uma viagem pelo mundo conhecido, absorvendo conhecimentos de culturas diversas, pertencentes aos mais diferentes povos e variados assuntos que eram do seu interesse.

Em suas peregrinações culturais conhece, na Babilônia, a bruxa Évora, que além de ensinar-lhe diversos mistérios, torna-o beneficiário de seu espólio de registros em ciências ocultas, visto que já se encontrava em avançada idade e Cipriano acabara de romper as cortinas da terceira década de vida.

Com toda esta bagagem de conhecimento se tornou tão famoso quanto temido por onde chegasse e passasse.

É neste momento de ápice nos versos das ciências ocultas, que Justina entra em sua vida para transformá-la de modo implacável. Donzela de família pagã abastada, Justina, ao se converter ao cristianismo, passou a viver sob voto de pureza e em constante oração.

Contrariando suas intenções religiosas, ela fora prometida em matrimônio a um rapaz rico de Antioquia, mas ela recusava-se a seguir em frente no projeto de seus pais. Sua mãe procurou o mago Cipriano para que pudesse através de seus ritos e domínio das forças ocultas fazer com que Justina mudasse de ideia.

A cada investida de Cipriano a  donzela respondia com orações, tornando o esforço do mago inútil, que, segundo a lenda, inquiriu seus deuses sobre a invulnerabilidade de Justine.

Em resposta, Cipriano tomara conhecimento de que o Deus de Justina era mais poderoso, o Senhor de todos os seres humanos e não humanos (!?!) e cada oração dela bloqueava os esforços das forças lançadas pelos sortilégios do mago. A lenda reforça que os deuses evocados nada podiam contra o sinal da cruz empregado pela donzela pura.

Frustrado, Cipriano, o bruxo, se opõe às divindades pagãs e influenciado por Eusébio, seu amigo, se converte ao cristianismo, desfazendo de seus bens e queimando boa parte de seus manuscritos.

Não demoraram até as perseguições iniciarem. Primeiramente, por parte dos espíritos renegados por Cipriano. Segundo o próprio, numa noite escura de sexta-feira, em uma rua deserta (?!?), teria sido interpelado por quatorze fantasmas de bruxas.

Entretanto, a perseguição do mundo material não tardaria, nem para Cipriano, quanto para Justina, que foram torturados pelo imperador Diocleciano para que negassem a fé cristã.

O bruxo, agora convertido, teria sido açoitado com pentes de ferro e atirado numa caldeira fervente de banha e cera sem nada sofrer e não renunciar. O mais fantástico e insólito desta lenda ainda está por vir.

Pela tradição explanada, o feiticeiro Athanasio teria alardeado que o feito de Cipriano se deveria a algum sortilégio empregado por ele e, como discípulo de Cipriano, invocou pelos deuses pagãos e se lançou no caldeirão fervente que outrora estivera o ex-bruxo e Justina. O destino de Athanasio foi menos brando e sua carne fritou em poucos segundo na frente de todos.

A morte de Cipriano foi decretada pelo imperador para o dia 26 de setembro de 304, por decapitação. Seus restos mortais foram expostos como era de costume à época e recolhido por cristãos seis dias depois.

O destino de Justina, que também sobreviveu ao caldeirão fervente, foi selado de modo análogo pelo imperador. O dia 02 de outubro foi proclamado como o dia de São Cipriano.

O LIVRO DE SÃO CIPRIANO, O BRUXO…

O famoso compêndio atribuído a São Cipriano fora compilado por alguém desconhecido e como tais textos sobreviveram ao fogo ateado pelo próprio autor, lhes confesso ser um mistério deveras contraditório, ao meu ver.

Além do mais, as inúmeras traduções (do hebraico para o latim, e posteriormente, às outras línguas) são elementos que advogam ainda mais contra a credibilidade em tal volume que é editado e publicado das mais diversas formas.

Apesar de todos estes elementos, os fragmentos das ciências ocultas ali apresentados seriam datados de antes da conversão de São Cipriano e trazem instruções contra doenças, exorcismos, cartomancia, orações e rituais de pactos com o diabo.

A fama de São Cipriano como feiticeiro, conhecedor de segredos diabólicos, se alastrou por toda a cristandade e sua atitude de queimar sua obra só fez aumentar a cobiça por tal volume.

O desejo pelo conteúdo da obra fez alguns se desfazerem de somas relevantes de dinheiro pela simples possibilidade de possuir este grimório com muito do que ficou associado e atribuído à magia negra. Numa das inúmeras edições que circularam pelo mundo temos uma possível explicação de como o texto de São Cipriano chegou aos dias de hoje, mesmo consumido pelas chamas ateadas pelo próprio bruxo.

A história foi revelada por um monge de nome Johnas, que declarara, solenemente, de joelhos diante do céu estrelado, que tivera relações com os espíritos mais elevados da corte infernal, em caracteres hebraicos.

Antes de expor seu relato, se declara um incrédulo, mas que depois de tal evento afirma incondicionalmente a veracidade do que ali esta impresso. Johnas teria passado muitos anos como bibliotecário em mosteiro e sua sede de conhecimento o levara a estudos misteriosos das artes mágicas. Segundo seu relato:

Era uma noite de inverno gelado. O céu estava coberto de nuvens enormes e negras que às vezes parecia dividido em vermelho por um raio. O vento assobiava terrivelmente nos pinheiros das montanhas. A chuva se precipitou as vidraças mosteiro gótico.

Eu não estava com medo. Eu esperei até que era meia-noite. Quando todos estavam reunidos em suas celas, e talvez dormindo, eu calmamente deixei o convento e empreendi a marcha para a mais alta montanha.

Quando eu estava no topo, eu parei. Um relâmpago passou pela minha cabeça incessantemente. Persisti em meu propósito de chamar o rei do submundo. O furacão bateu no meu corpo e furiosamente torci o hábito monástico.

Mas, firme como uma rocha que estava sob os meus pés, não me intimidei, nem vacilei no propósito. Julguei então que era hora de chamar o demônio: Se é verdade que você existe – com uma voz retumbante gritei – oh, poderoso gênio do submundo! apresentar-se à minha vista. 

E para apontar em meio a um formidável relâmpago, o espírito infernal que tinha invocado apareceu. O que você quer de mim? – indagou ele. Eu respondi sem vacilar queria entrar em contato com ele. 

Concedido respondeu: volte para o seu átrio. Lá você vai ter contato comigo quando quiser. E desde que eu sei o que você quer, eu vou revelar todos os segredos deste mundo e do outro. Vou dar-lhe um livro. Ele é como um catecismo das ciências secretas, catecismo que só pode ser compreendido pelos iniciados… 

E ele desapareceu, eu retornei ao meu mosteiro. Confabulei com o meu grande e misterioso amigo sempre que foi necessário. Ele, em suma, o livro revelou-me que eu deixo para a posteridade, como uma lavagem de ouro que abre e decifra os mistérios supremos da vida e da natureza, completamente ignorados pelos incrédulos ou seres vulgares. Ano da Graça, 1001.

Na introdução da edição que o monge Johnas explica como conseguiu o livro, o próprio Diabo atribui o volume a São Cipriano e nos esclarece como este sobrevivera ao incêndio deliberado pelo autor:

“Este livro, escrito em hebraico, é a mesmo que teve o grande Cipriano, e que me foi dado, forçado a fazê-lo em virtude de possuir um poderoso talismã.

Sirvo a você o conhecimento da “magia real” com a qual ele poderia ter o domínio sobre os espíritos e as pessoas. Através deles, ele se tornou poderoso, o mesmo poder que irá alcançar você, se você meditar e executar o que contém neste livro.

Devo adverti-lo, nunca se desvencilhar dele e até mesmo se você quiser destruí-lo ou jogá-lo em um rio, você nunca encontrá-o para executar tal propósito. Este livro é banhado pelo grande lago dos Dragões Vermelhos que existe em meu domínio, por isso é impossível para qualquer um dos elementos do universo destruí-lo.

Suas folhas não pode ser cortadas ou perfuradas. O fogo se apaga com o seu contato e água se evapora. “

Concordo que tal testemunho é difícil de acreditar, assim como toda a lenda de São Cipriano que se assemelham mais a historietas medievais ajambradas para assustar e impressionar incautos e crédulos.

POR FIM…

A existência histórica do bruxo Cipriano é contestada pelos biógrafos modernos sobre a justificativa de que os historiadores antigos haveriam se confundido com seu homônimo de Cartago e, embasados em algumas contradições destas obras antigas, duvidam da veracidade de São Cipriano de Antioquia.

São Gregório haveria pronunciado um sermão em 3 de outubro de 379 em honra de um Cipriano que havia sido mago, versado em filosofia, convertido ao cristianismo e se tornado Bispo de Cartago, sendo muito influente em seu tempo e teve seu fim decretado pelo imperador Décio.

Já a imperatriz Eudóxia, em meados do século V, fala de um mesmo Cipriano, mago, convertido ao cristianismo, bispo de Antioquia e martirizado por Diocleciano. Por toda a Idade Media, textos nas mais diversas línguas surgiam a cada dia difundindo a lenda de São Cipriano, entretanto é bom deixar claro que não existe dúvida sobre a existência histórica de São Cipriano de Cartago e sim de São Cipriano da Antioquia, a quem o Livro de São Cipriano é atribuído.

Os defensores de Cipriano da Antioquia alegam que as contradições entre São Gregório e Eudóxia seriam artífices do demônio para não verificar a santidade de um homem que havia vendido sua alma à ele e que depois o renegou por amor a Cristo.

E você prezado leitor, no que acreditas?

Anúncios

2 comentários Adicione o seu

  1. Thiago disse:

    Parabéns pelo artigo. Já li muitos sobre São Cipriano de Antioquia e este foi o mais interessante. A Igreja Católica reconhece a existência de São Cipriano de Antioquia, de acordo com um compêndio americano de santos católicos que consultei na internet. Infelizmente não possuo mais o link, mas tanto ele quanto Justina são reconhecidos como santos.

    Curtido por 1 pessoa

  2. ive disse:

    ORAÇAO PODEROSA PARA TRAZER AMOR DE VOLTA EM 24 HORAS

    LEIA SOZINHO porque no passado eu também não acreditava que ia dar certo, mas? funciona mesmo!!! Entrei neste site e fiz esta prece. Fiz para ver se ia dar certo e deu, assim que acabei meu amor ligou. A pessoa que eu copiei também não acreditava mas para ela também funcionou!
    AGORA VEREMOS?
    Diga para você mesmo o nome do único rapaz ou moça com quem você gostaria de estar (três vezes)?
    Pense em algo que queira realizar na próxima semana e repita para você mesmo (seis vezes).
    Se você tem um desejo, repita-o para você mesmo (Venha cá ANJO DE LUZ eu te INVOCO para que Desenterre EFC de onde estiver ou com quem estiver e faça ela ME telefonar ainda hoje, Apaixonada e Arrependida, desenterre tudo que esta impedindo que EFC venha para MIM , afaste todas aquelas que tem contribuído para o nosso afastamento e que ela EFC não pense mais nas outros? mas somente em MIM. Que ela ME telefone e ME AME. Agradeço por este seu misterioso poder que sempre dá certo. Amém?).
    Publique esta simpatia por três vezes , basta copiar e colar por três vezes em in forum diferente esta simpatia abaixo e logo em 48hs você terá uma linda surpresa, beijos Ainda esta noite de madrugada o TEU amor dará conta de que TE ama, algo assim acontecerá entre 1 e 4 horas da manhã esteja preparada para o maior choque de sua vida! Se romper esta corrente terá má sorte no amor.
    ? · 3 anos atrás

    Curtir

E aí? Curtiu? Conte-nos o que achou desta postagem, mas seja educado, por favor!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s