VOCÊ DEVIA OUVIR ISTO: Bread, Anthology Of

Dia Indicado para ouvir: Domingo.
 
Hora do dia indicada para ouvir: Dez da Manhã
 
Definição em um poucas palavras: Adulto, Baladas, Bucólico, Classudo ao quadrado, Sentimental, Urbano.
 
Estilo do Artista: Soft Rock;
 
Comentário Geral:  Poucos nomes da música moderna conseguiram forjar um conteúdo de canções que combinam de modo tão conciso os arranjos tecnicamente intricados das orquestrações, com melodias musicais populares, que falem de modo tão alto aos sentimentos de quem as ouve. Escutar a obra do Bread é sentir-se confortado por melodias musicais, tamanha a habilidade que as composições possuem em nos atingir nos pontos mais sensíveis. Canções como Baby I’m-A Want You, Everything I Own, If ou Aubrey são de sensibilidade musical tangível, reverberando sentimentos em quem as experimenta de modo impiedoso, evidenciando a capacidade de David Gates, a mente por trás do Bread, como compositor popular. Todos estes sucessos, incluindo-se ainda, The Guitar Man, Anyway You Want Me, Make It With You e Diary foram esculpidos em menos de meia década, entre 1969 e 1973, fazendo do Bread um dos grandes nomes do que se convencionou a denominar de soft rock, no início da década 1970. O nome de Gates não era inteirante desconhecido no mundo da música pop antes do sucesso com o Bread. Ainda na cidade de Tulsa, no estado americano de Oklahoma, o jovem David Gates estava ao lado de Leon Russell em bandas iniciais, além de ser membro da banda local que acompanhava artistas célebres, como Carl Perkins, Chuck Berry, entre outros. Ao findar de seus dias de escola se mudou para Los Angeles, onde iniciou sua carreira como músico de estúdio, arranjador e produtor, trabalhando com nomes do quilate de Merle Haggard, Elvis Presley e Pat Boone. Não tardou o aflorar do desejo em trabalhar nas suas próprias composições que já ganhavam voz através de outro nomes, em meados dos anos 1960. O corolário imediato desta faceta de compositor de David Gates foi a fundação do Bread, em 1969, ao lado de James Griffin e Bobb Royer. A proposta da banda era basicamente compor canções com melodias pop, diluindo intrincados arranjos e orquestrações entre os versos e refrões simplórios, forjando um harmônico e confortável jeito de se fazer rock, que se tornou um enorme sucesso. A constante variação das formações da banda somente evidenciaram a liderança de David Gates dentro do Bread, que foi a principal mente criativa desde o primeiro sucesso, a belíssima Make It With You, em meados de 1970, além de motivar o término das atividades em 1973. A reformulação veio em 1976, para o álbum de reunião intitulado Lost Without Your Love, que trazia uma belíssima faixa-título. Este álbum funciona como uma forma de apresentar o lado mais acessível da banda que, em sua discografia, investia em algumas faixas mais roqueiras e em pontos isolados mais experimentais. Este fato, inclusive impulsionou alguns nomes da música pop em início dos anos 1970 a abusar um pouco mais das linhas de guitarra, aproximando os fãs de rock com guitarras mais evidentes da cena pop/soft rock. Esta multifacetada característica da música do Bread vinha da variedade das influências das duas alas de compositores da banda. De um lado temos David Gates com seu leve tempero country, inspirações em The Byrds e Buffallo Springfield. Do outro lado temos Royer e Griffin bebendo fortemente na fonte das melodias britânicas, principalmente dos Beatles e compositores como Burt Bacharach. Dentro deste panorama, esta coletânea é uma ótima porta de entrada para aqueles que não conhecem o poderio envolvente da música do Bread, sendo uma página importante da história do rock/pop e. Se você nunca tomou contato com as melodias apaixonantes do Bread, definitivamente, você devia ouvir isto! 
 
Ano: 1988.
 
Top 3: Baby I’m-A Want You, Everything I Own e Anyway You Want Me.
 
Formação:  David Gates (teclados, guitarras, vocals), Jimmy Griffin (guitarras), Robb Royer (guitarras), Larry Knechtel (guitarras), Mike Botts (bateria) e Jim Gordon (bateria).
 
Disco Pai: America: History – America’s Greatest Hits (1975)
 
Disco Irmão: Air Supply: Greatest Hits  (1988)
 
Disco Filho: Carpenters: Anthology (1998)
 
Curiosidades: James Griffin e Bobb Royer, eram também produtores e compositores, que, antes de integrar o Bread, já haviam sido laureados com o Oscar de Melhor Canção de 1969, para a composição For All We Know, originalmente gravada por Larry Meredith, e mais tarde coverizada pelos Carpenters, que segundo a lenda teria se inspirado nas guitarras de The Guitar Man para adicionar mais guitarras às suas composições.
 
Pra quem gosta de: Coletânea flashback, FM de madrugada, voz melodiosa, capuccino e trilha sonora de novelas.

Anúncios

E aí? Curtiu? Conte-nos o que achou desta postagem, mas seja educado, por favor!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s