VOCÊ DEVIA OUVIR ISTO: John Lennon, Rock N’ Roll

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

John Lennon Rock N Roll

Dia Indicado Pra Ouvir:  Quinta-Feira;

Hora do dia indicada para ouvir:  Sete da Noite;

Definição em um poucas palavras: Adulto, Alegre, Baladas, Classudo, Conceitual, Festeiro, Grudento, Guitarra, Urbano e Retrô. 

Estilo do Artista: Rock n’ Roll/ Rythm & Blues.

Comentário Geral:  Os interesses do adolescente John Lennon eram indefinidos até que, em meados da década de 1950, se deliciou com clássicos de Bill Halley, Jimmy Reed, The Drifters, Carl Perkins, Chuck Berry, The Platters e Elvis Presley, pelas ondas do rádio. Segundo o próprio Lennon, “essa é a música que me trouxe das províncias da Inglaterra para o mundo, foi isso que me fez quem sou.” E esta confissão fica ainda mais clara quando percebemos a diversão de Lennon, já como um dos fab four que tinha acabado com o sonho, ao entoar estes clássicos que o fizeram se apaixonar pelo rock. Em 1975, a maioria dos heróis do jovem Lennon já tinham seus lugares no panteão do rock tomados por outros gigantes, como Mick Jagger, Keith Richards, Bruce Springsteen, Jimmi Page, Robert Plant e Eric Clapton, para citar apenas algumas das novas deidades roqueiras. Todavia, o cinema trouxe as eras primevas do rock à baila novamente pelos idos de 1972, com o filme American Graffiti, cuja trilha sonora retomou sucessos que fizeram a cabeça da geração de John Lennon, motivando-o a registrar um álbum de releituras para os clássicos do rock n’ roll e do R&B daquela época. De outubro a dezembro de 1973, com o comando de Phil Spector, começaram as sessões de gravação do álbum que viria a ser Rock n’ Roll, lançado dois anos mais tarde.

Naqueles dias de 1973, o álbum Mind Games era lançado e dentro do estúdio as coisas não iam nada bem. Enquanto Lennon queria uma produção mais crua, que realçasse a vitalidade primal das canções, Phil Spector se mostrava desejoso de transformar cada faixa numa mini sinfonia, com produção cristalina e confortável. Os desacordos minaram a evolução do projeto que seria abandonado após a separação da dupla, sendo que as gravações foram embora com Spector. Até o lançamento de Walls and Bridges, em 1974, este projeto esteve adormecido, mas fantasmas do passado o trariam à tona novamente. John Lennon tinha uma dívida com a Companhia de Morris Levy, por causa da canção “Come Togheter”, presente no álbum Abbey Road, dos Beatles, que “chupava” descaradamente elementos da canção “You Can’t Catch Me”, de Chuck Berry. O processo judicial, desenrolado pelos idos de 1972 e 1973, obrigava Lennon a registrar três composições da Companhia de Morris em seu próximo álbum solo. Walls and Bridges fora lançado e a dívida não fora paga. Sendo assim, John Lennon retomou as fitas que estavam com Spector, mudou algumas abordagens e deu a fita com as canções para Morris Levy, como um pagamento, numa espécie de acordo de cavalheiros. Todavia, Levy as vendeu com o título Roots, John Lennon Sings the Great Rock & Roll Hits, em fevereiro de 1975. Vendo a forma como sua obra estava sendo tratada, John Lennon obrigou Levy a parar suas vendas, para que lançasse o material de modo oficial. Entretanto, as versões do mesmo álbum diferem em duas canções (“Be My Baby”“Angel Baby”) e, além disso, das sessões de gravação com Spector, duas faixas não foram lançadas (“Since My Baby Left Me” “To Know Her Is To Love Her”). 

Rock n’ Roll, álbum de 1975 e que, à priori, seria batizado como “Oldies But Mouldies”, abria com uma lasciva e incontida interpretação de Lennon para o clássico de Gene Vincent, “Be-Bop-A-Lula”, seguida de uma versão simplificada, mas altamente confessional para “Stand By Me”, de Ben E. King, uma ode à unidade humana que ganhou força na interpretação de Lennon. Algumas faixas são energéticas e exorcizantes, outras são lascivas, com guitarras sujas, batidas ritmadas e quase tribais, além de naipe de metais febris. Destaques para “You Can’t Catch Me” (a faixa que “inspirou” o clássico “Come Togheter” ), “Do You Wanna Dance” (que virou um reggae ao melhor estilo assembléia do amor), “Slippin’ and Slidin” (que inaugura o Lado B de modo malicioso e efervescente, com naipes de metais ácidos e batidas empolgantes), “Bringin it on Home to Me/ Send e Some Lovin” (um blues-rock ao melhor estilo Eric Clapton e com o DNA clássico nas guitarras ao melhor estilo Peter Frampton, além de metais eloquentes e quase hipnóticos) e “Bony Morone” (versão impregnada de malícia e crueza, com guitarras cheias de fuzz). 

A produção pode estranhar , mas o objetivo de Lennon em capturar a crueza das versões originais é latente, principalmente em “Peggy Sue”, numa abordagem bem diferente do que os álbuns solo de John Lennon nos ofereciam, ficando claro que ele estava se divertindo muito ao executar estas versões. Não houve single de promoção, sendo que “Stand By Me” em single só seria lançada três semanas após o álbum ganhar o mundo. Por ser despretensioso, sem a afetação artisticamente empolada da dupla Ono/Lennon, nada discursivo e ativista, além de uma divertidíssima homenagem, você devia ouvir isto!

Ano: 1975;

Top 3: “Stand By Me”, “Bony Moronie” e “Be-Bop-A-Lula”

Formação: John Lennon (Guitarras, vocais), Jesse Ed Davis (Guitarras), Jim Calvert (Guitarras), Eddie Mottau (Guitarras Acústicas), José Feliciano (Guitarras Acústicas), Michael Hazelwood (Guitarras Acústicas), Steve Cropper (Guitarras), Klaus Voormann (baixo), Leon Russell e Ken Ascher (teclados), Jim Keltner (Bateria), Hal Blaine (Bateria), Gary Mallaber (Bateria), Arthur Jenkins (Percussão), Nino Tempo (Saxofone), Jeff Barry (trompete), Barry Mann (trompete), Bobby Keys (trompete), Peter Jameson (trompete), Joseph Temperley (trompete), Dennis Morouse (trompete) e Frank Vicari (trompete).

Disco Pai:  David Bowie: Pin Ups (1973).

Disco Irmão:  John Lennon & Plastic Ono Band: Roots, John Lennon Sings the Great Rock & Roll Hits (1975).

Disco Filho:  Rush: Feedback  (2004).

Curiosidades: A foto que estampa o álbum foi tirada durante a estadia dos Beatles na Alemanha e encontrada por May Pang, ex-namorada de John Lennon, numa exposição fotográfica. Os três vultos da foto seriam George Harrisson, Paul McCartney e Stu Sutcliffe.

Pra quem gosta de: Rockabilly, Coca-Cola, Marilyn Monroe, Drive-ThruPin Ups e literatura Beat.

John Lennon Rock N' Roll

Anúncios

1 comentário Adicione o seu

E aí? Curtiu? Conte-nos o que achou desta postagem, mas seja educado, por favor!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s