ATUALIZANDO A DISCOTECA: Last In Line, “Heavy Crown”

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Por Getúlio Alves

cd_hr-810x797
Last In Line: “Heavy Crown” (2016, Frontiers Music SRL, AWO Records)

Nos dias atuais é muito difícil encontrar bandas com uma sonoridade coesa, sólida, que remete aos bons tempos do Heavy Metal/ Hard Rock, com uma pitada de modernidade e uma produção impecável, como o Last in Line.

Em 2011, com certeza para “afogar as mágoas” de ter perdido o cantor/lenda Dio, os músicos de apoio do mesmo na época do disco “Last in Line”, Vivian Campbell, Vinny Appice e o recentemente falecido Jimmy Bain, se reuniram para um tributo sem compromisso.  A mágica dessa reunião foi tanta, que resolveram relembrar os velhos e bons tempos compondo em uma nova banda, que claro, com essa proposta não poderia ter outro nome anão ser, Last in Line. Obs: Jimmy Bain tinha tatuado em seu braço para todos verem o nome “Last in Line”, sinal que tinha muito orgulho de ter participado desse disco do Dio.

Em 2013 o vocalista Andrew Freeman se juntou ao grupo. Apesar de ter participado de bandas como:  Hurricane e The Offspring, era pouco conhecido, o que surgiu questionamentos, mas ao decorrer do trabalho “Heavy Crown”, ele provou que sua escolha não foi em vão.

 Confira o clipe para a faixa “Devil In Me”.

A música de abertura é “Devil in Me”, vou confessar para vocês, aos 20 segundos de música eu já estava emocionado e quando o vocal entrou me hipnotizado. Tudo que eu esperava ouvir estava bem ali.

Por sorte, o álbum não perde a emoção em sua segunda faixa, “Martyr”, que é bem mais rápida e vocal com uma tonalidade mais alta, relembrando bem nosso saudoso e já mencionado Dio, que inclusive da para imagina-lo cantando essa faixa.

Destaco aqui o bom trabalho de todos os músicos, sem exceção, em todo o trabalho, mas em “Starmaker”, assombrosa , Vivian Campbell dá um show de composição, timbre e solo.

“I Am Revolution” é o tipo de música que não da para ficar parado, no segundo refrão você já está de punho cerrado erguido no ar, cantando: “I am revoluriooooonnn”.

 Confira o clipe para a faixa “Starmaker”

Como todo bom disco desse estilo, não poderia faltar a balada, não é mesmo? Então, essa responsabilidade é jogada em cima de “Curse The Day”, que não decepciona. Campbell novamente tem em suas mãos o destaque da faixa.

É impressionante como tem “hits” nesse disco, “Orange Glow” ficou em minha cabeça por dias.

Existe um provérbio americano que diz: “você não pode ensinar a um cachorro velho novos truques.” E é isso que acontece aqui, com todas suas bagagens musicais, somadas a tecnologia e ao conhecimento moderno de Jeff Pilson (produtor), “Heavy Crown” é um forte candidato aos melhores do ano, além de ser um registro imperdível para os fãs de Heavy Metal em geral.

Anúncios

E aí? Curtiu? Conte-nos o que achou desta postagem, mas seja educado, por favor!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s