A ÚLTIMA GRANDE GERAÇÃO DE ÁLBUNS DE ROCK: Parte 1

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Nascido em meados dos anos 50, o Rock N’ Roll já foi declarado morto diversas vezes, mas ao meu ver ele só se retirou para visitar outras paisagens e se fundiu ao mais diversos estilos musicais espalhados pelo mundo. Inclusive, recentemente publicamos uma lista com 23 álbuns que irão te apresentar novos nomes deste estilo que apenas se avizinhou ao erudito e ao Jazz como formas musicais elevadas.

Todavia, voltemos à era dourada do Classic Rock. Pergunto-lhe: O que canções como Hey You do Pink Floyd, Stairway to Heaven do Led Zeppelin ou Anarchy In U.K. do Sex Pistols possuem em comum? Nada! A não ser que estão enfileiradas na prateleira de clássicos do rock n’ roll e isso mostra o quão vasto era o terreno criativo que os compositores das bandas tinham para cultivar suas ideias musicais. Entretanto, ninguém contesta que qualquer uma destas canções possuem um o mais puro sangue rock n’ roll, apesar de toda a versatilidade da tríade apresentada.

Vamos trilhar outro caminho. Naqueles tempos, tivemos grandes gerações de álbuns clássicos. Quer um exemplo? Entre 1978 e 1980, temos uma das mais brilhantes gerações de lançamentos, com clássicos do quilate de The Wall do Pink Floyd, o álbum de estréia do Van Halen, Highway to Hell e Back In Black do AC/DC, Joy Division com seu Unknown Pleasures, o Motorhead dominava o mundo heavy metal com seu Ace Of Spades ao lado do Judas Priest que lançava o multi-platinado British Steel e ambos viam o nascimento do Iron Maiden com seu álbum de estréia.  Acredito que depois deste exemplo fique claro o que chamo de grandes gerações de álbuns do rock.

Não creio que esta geração citada seja a melhor da história do rock e existem diversas outras que valem uma audição mais minuciosa. Mas os amantes do rock n’ roll concordam que o estilo perdeu o glamour e a atenção da mídia. Então, qual seria a última grande geração de álbuns de rock? Nesta série de postagens tentarei expor qual é o derradeiro conjunto de discos que valem a pena serem ouvidos, por sua qualidade e pioneirismo.

Todos estes discos foram lançados num mesmo período, formando o que eu considero a última grande geração de álbuns de rock. O único critério a ser respeitado é a época. Resolvi considerar um espaço de três anos que é o tempo médio que as mais diversas bandas usam para seus lançamentos. Sendo assim, nosso ponto de partida é o ano de 1989. Consequentemente, nossa última geração de grandes álbuns findará em 1991.

A Última Geração de Grandes Álbuns de Rock

the_real_thing_album_coverO primeiro destaque desta geração é um dos pilares do funk n’ metal.  O Faith No More lançava, em 1989, seu terceiro álbum denominado The Real Thing que trazia uma variedade enorme de estilos que iam do Thrash Metal da canção Surprise! You’re Dead!, à balada lounge Edge Of The World, passando pelos sucessos avassaladores de From Out Of Nowhere, Epic e Falling To Pieces. Este álbum, além de ser um marco do rock pesado moderno pode ser apontado como principal influência do que seria conhecido como metal alternativo em meados dos anos 90 apresentados por bandas como Rage Against The Machine, Korn e o Limp Bizkit.

tsrPartindo para o pop rock, afinal o rock pode ter apelo comercial e manter a qualidade, não posso deixar de citar o álbum de estréia do Stone Roses. Nunca ouviu falar? Bom, só posso lhe dizer que se existem bandas como Oasis, Travis, Blur, The Verve e toda a trupe que ficou conhecida como Britpop anos seguintes, isso se deve a este debut do The Stone Roses. Oriundos da cidade de Manchester, a influência deste grupo se estende em toda a música pop naquela ilha nos anos seguintes e o destaque máximo é para a releitura de Scaborough Fair intitulada Elizabeth My Dear e transformada em balada com a visão anti-sistema do grupo. A banda recriou parte do pop e do rock dos anos 60 injetando muito ecstasy nas melodias.

 
a071914720568aefae0b8b489fdef974-1000x1000x1O Heavy Metal e seus sub-estilos mais pesados estavam em alta no fim da década de oitenta e, em 1990, o Megadeth lançou seu maior clássico, digno de figurar nesta última grande geração de álbuns de rock. A instabilidade da formação do conjunto era um problema e o quarteto que gravou este álbum foi o mais próximo que o grupo de Dave Mustaine chegou de uma formação unida. Mas Rust In Piece se destaca pela classe apresentada nas violentas composições como as obrigatórias Holy Wars… The Punishment Dues, Hangar 18, Five Magics e Tornado Of Souls.


download
O grande grito de rebeldia adolescente ecoava pelo mundo do rock no início da nova década e o Nirvana era o seu principal porta-voz. A juventude clamava pela rebeldia do seu líder e quase mentor intelectual Kurt Cobain e a cartilha a ser seguida vinha com o título de Nevermind. Depois deste álbum o grunge passou a ser notícia no mundo da música e não era mais tachado de estilo alternativo de garotos sujos e que usavam flanela enxadrezada. Com clássico atrás de clássico o álbum traz canções irretocáveis como Smells Like Teen Spirit, Come As You Are, Polly, On A Plain até terminar na belamente depressiva Something In The Way. 

coverO próximo álbum da lista é um arroubo de originalidade e inspiração. Originalidade pois o Red Hot Chili Peppers soube como poucos explorar o talento de seus integrantes em prol de uma sonoridade diferenciada e que caminhava de modo oposto ao que os principais nomes do estilo estavam criando naqueles anos. Podemos dizer que a banda é uma mistura do espirito de Bob Marley com a atitude do Black Sabbath e a rebeldia inconsequente do Bart Simpson. Inspiração, pois neste álbum esta Under The Bridge, uma bela canção que estourou nas rádios de todo os mundo. Podem dizer o que quiser do grupo, mas Blood Sugar Sex Magik é, irrefutavelmente, um clássico do rock.

coverSe o tema principal é inspiração então o próximo álbum é líder, afinal, é dele a mais bela balada desta geração de álbuns irretocáveis. Quando o Pearl Jam lançou seu primeiro álbum no ano de 1991 eles não era novatos na cena e seus integrantes já eram conhecidos por causa da promissora banda Mother Love Bone que teve um fim prematuro. Mas Ten já nasceu um clássico. A belíssima canção Black pode ser apontada como uma das mais belas, se não a mais bela balada dos anos 90. Além desta, ainda temos Alive e a magistral Even Flow só para citar algumas das irrepreensíveis músicas que compõem esta maravilha estampada em tons avermelhados.

Esta é somente a primeira parte da série de postagens sobre a última grande geração de álbuns de rock. Creio que com esta lista inicial o leitor já tenha começado a colocar o arquivo musical do cérebro para rodar em busca de grandes álbuns desta época e já podem esperar por Metallica, Guns N’ Roses, U2 e outros grandes nomes que foram destaques máximos no limiar das décadas de 80 e 90.

Anúncios

1 comentário Adicione o seu

E aí? Curtiu? Conte-nos o que achou desta postagem, mas seja educado, por favor!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s