ATUALIZANDO A DISCOTECA: Edenbridge, “The Great Momentum” (2017)

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

edenbridgegreatmomentumcd
Edenbridge: “The Great Momentum” (2017, SPV/Steamhammer, Sound City Records, Shinigami Records) NOTA:8,5

A banda austríaca Edenbridge sempre se mostrou uma das mais diferenciadas dentro do Symphonic Metal, simplesmente por saber homogeneizar muito bem os dois mundos, metálico e erudito, de modo muito orgânico, inteligente e envolvente, longe de soar forçado.  “The Great Momentum” é o nono álbum da banda, e se destaca numa discografia de altíssimo nível, junto a trabalhos irrepreensíveis como “Sunrise In Eden” (2000), “Shine” (2004), e “The Grand Design” (2006). Além disso, “The Great Momentum” apresenta o novo baterista da banda em estúdio, Johannes Jungreithmeier, que tem uma pegada dinâmica e poderosa.

Quando se fala em Edenbridge, nunca é demais enaltecer a capacidade criativa de Lanvall, multi-instrumentista e compositor da banda,  que cuidou de todos os arranjos vocais e orquestrais do trabalho (executados pela Junge Philharmonie Freistadt orchestra), além de produzi-lo com maestria (todos os instrumentos são detalháveis e a equalização e timbragens estão muito bem determinadas para a proposta),  e alicerçá-lo sobre guitarras pesadas (em parceria com o guitarrista Domink Sebastian), baixo encorpado, e bateria ribombante.

Confira o lyric video da faixa de abertura “Shiantara”… 

Lanvall está no nível máximo dentre os compositores do gênero, pois se vale de influências de jazz e Rock Clássico (algumas progressões vocais remetem ao Queen diretamente), além do esperado eruditismo entrelaçado ao Heavy Metal. Sem medo de soar exagerado, uma composição como “The Die Is Not Cast” (um Heavy Metal cadenciado, com guitarras inspiradas, movimentos eruditos e mudanças de andamentos que beiram o progressivo), melhor do álbum, ratifica que ele é um verdadeiro artesão da música contemporânea.

Neste contexto, “The Great Momentum” é um álbum mais bombástico que o anterior. “Shiantara”, faixa de abertura, já mostra toda esta grandiosidade sinfônica num caleidoscópio musical envolvente, em meio à estrutura do Heavy Metal advinda da trinca guitarra-baixo-bateria, enquanto “Return To Queen” virá mais à frente, acelerada, com nítidas influências de Iron Maiden e Queen borbulhando no caldo intenso e sinfônico.

1843_photo

“The Great Momentum” é o nono álbum da banda austríaca Edenbridge, extrapolando as barreiras do Symphonic Metal, com pitadas de Jazz e Rock Clássico, se mostrando como um álbum de Heavy Metal grandioso e de altíssima qualidade! 

Os refrãos são melódicos e dramáticos, os solos são construídos sobre alta técnica e muito bem encaixados na proposta de cada composição, e os vocais de Sabine Edelsbacher são um destaque à parte, sem soar exagerados e cansativos, não se fiando apenas nas notas altas do canto lírico, como bem exemplificam as belíssimas “Only a Whiff of Life” (com uma sensibilidade musical quase desconcertante) e “Until the End of Time” (uma balada interessante, com a a participação do vocalista Erik Martenson, do Eclipse).

Esta última, junto a “The Moment Is Now” (ponto menos inspirado do trabalho, com linhas mais grudentas) mostram ainda como Lanvall consegue manusear melodias mais acessíveis, numa simplicidade relativamente eficiente dentro de sua proposta.

Confira o clipe da faixa “The Moment Is Now” 

Além disso, os movimentos eruditos estão bem contextualizados nas composições, não sendo somente um artifício de adorno ou climático. Faixas como “A Turnaround in Art”,“The Visitor” (que também possui algumas passagens pontuais que remetem ao Queen) e “The Greatest Gift of All” (o épico desfecho, bem dividido em andamentos, como uma peça clássica) pedem estas inserções, por sua natureza.

As belas incursões diferenciadas, com arranjos de cordas, violões e pianos, dão uma dinâmica elegante e inteligente ao trabalho, oxigenando-o enquanto extrapola as barreiras do Heavy Metal, numa interseção muito bem executada com a música erudita.

É sinfônico, é operístico, é rebuscado, mas, acima de tudo, é Heavy Metal! E um Heavy Metal grandioso! De bom gosto e altíssima qualidade!

Anúncios

E aí? Curtiu? Conte-nos o que achou desta postagem, mas seja educado, por favor!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s