ATUALIZANDO A DISCOTECA: Revanger, “Gladiator” (EP, 2015)

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

revanger
Revanger: “Gladiator” (2015, EP, Independente) NOTA:7,5

Confesso que a arte da capa que embala este EP de estréia da banda potiguar não me agradou muito! A ideia é interessante, mas a execução me soou pouco orgânica e sem vida. O mesmo já não podemos dizer da música aqui contida, o que nos leva a elencar este trabalho dentre os exemplos da máxima de não julgar um disco pela capa. Afinal, tal comportamento poderia privar o ouvinte deste amálgama do mais puro e tradicional Heavy Metal, com refrões marcantes, vocais emocionantes e bem construídos, momentos Hard n’ Heavy, e instrumental forte, ecoando a linhagem nobre de nomes como Iron Maiden, Saxon, Judas Priest, Motorhead, e Metallica.

“Enter Hades” introduz o trabalho prometendo aquilo que se espera pela capa: metal clássico, de espírito true, boas guitarras, e muita energia aliada a técnica instrumental. E “Crazy Words” vem na sequência para cumprir esta promessa, construída sobre tradicionalismos britânicos do Heavy Metal. Todavia, é justamente aqui que a produção começa a chamar a atenção.

A banda Revanger investe num amálgama do mais puro e tradicional Heavy Metal, instrumental forte, ecoando a linhagem nobre de nomes como Iron Maiden, Saxon (Official), Judas Priest, Motorhead, e Metallica.

Olhando exclusivamente para este quesito, as timbragens me soaram um pouco desconexas entre os instrumentos, onde temos uma sonoridade excessivamente suja e old school em uma metade, e moderna na outra, o que leva a um perene paradoxo de textura ao longo das composições, como se duas eras do gênero debatessem enquanto as canções se desenvolvem.

Não significa que tudo esteja perdido, basta decidir a qual dos dois senhores quer servir, dar uma unidade às timbragens, e lapidar melhor a produção, pois quanto ao Heavy Metal propriamente dito, a banda entende, principalmente a versátil dupla de guitarristas, formada por Diego Rosado e Diego Nogueira.

Confira a faixa “Gladiator”… 

Destaques imediatos para “Hell’s Angels”, “The Evil Song“, e “Gladiator” (composição muito bem ajambrada em seus detalhes de espírito épico), que ficam num cruzamento de Iron Maiden com Motorhead, com tempero Hard Rock, e ótimos vocais de Patrick Raniery. Aliás, a performance do vocalista é o máximo destaque dentre os integrantes, conseguindo ser técnico, enquanto desfila feeling.

Ao fim da audição reverenciamos um trabalho coeso no que tange ao Heavy Metal, com evoluções instrumentais trabalhadas pelos dez mandamentos do Metal, com força, melodia, e atitude, externando potencial para evolução. Basta uma produção melhor!

Um diamante bruto do Heavy Metal nacional!

Anúncios

1 comentário Adicione o seu

E aí? Curtiu? Conte-nos o que achou desta postagem, mas seja educado, por favor!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s