ATUALIZANDO A DISCOTECA: Dead Dasies, “Live & Louder” (2017)

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

deaddaisiesliveloudercd
Dead Dasies, “Live & Louder” (2017, Sound City Records, SPV/Steamhammer, Shinigami Records) NOTA:9,5

A banda Dead Daisies se consolidou dentro da cena atual não por ser apenas um supergrupo do Hard Rock, com membros que passaram por Motley Crue, Whitesnake, Black Star Riders e Guns N’ Roses, mas por trabalhos consistentes, (com destaque ao terceiro álbum, “Make Some Noise” [2016]) e shows incendiários, principalmente após a entrada de John Corabi e, mais recentemente, Dough Aldrich, que encheu as composições com sua alma de guitar hero.

Agora, como corolário desta grande fase que a banda vive, lançam seu primeiro álbum ao vivo, afinal, o bom e velho Rock N’ Roll se sobressai na libertinagem musical do palco! E o Dead Daisies não decepciona! Na verdade, a banda emociona os espíritos roqueiros que se aprazem de álbuns como “Live At Leeds” (do The Who), “Alive I” (do Kiss), “Live” (AC/DC), e “Live… in the Heart of the City” (Whitesnake).

Confira o vídeo de “Make Some Noise”… 

Veja bem, não estou comparando este “Live & Louder” a estes clássicos do Rock, mas dizendo que aquele clima ultrajante, livre, e rebelde (onde era possível, apenas pela rotação do vinil, sentir a fumaça dos cigarros, o cheiro de cerveja, e a energia do público em resposta à explosão do palco) está muito bem captado nestas 16 inflamadas interpretações ao vivo que transitam entre seus três álbuns e alguns covers, ou melhor, releituras de hinos do Rock!

E sem nenhum rubor confesso que este álbum me emocionou como há tempos não acontecia com um álbum ao vivo! A produção (de Aldrich) e a mixagem (de Anthony Focx) conseguiram manter a organicidade e a honestidade das composições, marcadas pela classe do Classic Rock e a adrenalina/sujeira do Hard Rock mais despojado.

E se a malícia inflamada do riff de abertura de “Long Way To Go” não te arrepiar repense suas preferências musicais. Nada melhor do que uma interpretação vigorosa de uma faixa empolgante e cheia de picardia Hard Rock, que invoca os deuses que iluminaram nomes como AC/DC e Motley Crue, para abrir o ritual roqueiro no palco.

Confira a inflamada interpretação de “”(We’re An) American Band”… 

De cara percebemos o quão impressionante Dough Aldrich pode ser empunhando sua guitarra ao vivo, com solos cheios de adrenalina, e riffs flamejantes, dando um novo sabor a faixas dos outros álbuns que não registou, como “Something I Said”, “With You And I” (anunciada como uma das composições mais importantes para a banda, chamando a atenção da platéia para sua letra), e “Lock N’ Load”.

Claro que Aldrich não é a única estrela da companhia, afinal seu trabalho é sustentado pela base nas seis cordas de David Lowy, e pela concisa cozinha formada pelo baixista Marco Mendoza (Blue Murder, Black Star Riders e Whitesnake) e o baterista Brian Tichy (ex-Whitesnake). E não seria exagero dizer que John Corabi disputa o protagonismo das performances com Aldrich, afinal, sua voz é perfeita para o gênero, sendo lascivamente melódica, mas com sujeira e atitude. Na verdade, ao vivo, o casamento da timbragem de Aldrich  com a voz rasgada e carregada de John Corabi soa ainda mais harmonioso.

Em “Live & Louder”, a banda Dead Daisies recria o clima dos clássicos álbuns ao vivo do Rock, com guitar hero, bateria com cowbell, guitarra com talk box, refrão grudento, sabor etílico, e a energia do público em resposta à explosão do palco, promovendo uma festa que exige traje roqueiro à rigor!

E no setlist temos um Hardão mais envolvente que o outro, com destaque a “Mexico” (que ganhou mais envolvência com Aldrich), “Song And Prayer”, “Midnight Moses” , “Last Time I Saw The Sun” “Mainline”, sendo perfeitos exemplos da música provocadora, contrastando despojamento e virtuose, promovida pelo Dead Daisies.

Todavia, os covers para “Fortunate Son” (do Creedence Clearwater Revival), “Helter Skelter” (dos Beatles), “Join Togheter” (do The Who), e “(We’re An) American Band” (do Grand Funk Railroad) roubam a cena dentro do repertório pela clara diversão que banda transmite ao executá-las (e se houvesse dúvidas quanto a isso, a apresentação dos integrantes as detonaria).

Confira a faixa “With You And I”… 

Este trabalho é fruto de gravações pontuais dos shows realizados na turnê européia em 2016, com a formação que registrou “Make Some Noise”, o que nos faz perceber como a banda ia afinando seu entrosamento ao longo do quebra-cabeças criado na disposição das faixas (mais evidente na belíssima “Something I Said”), e como a banda subiu de patamar técnico com a dupla Corabi/Aldrich.

No mais, é Hard Rock ao vivo, com guitar hero, bateria com cowbell, guitarra com talk box, refrão grudento, sabor etílico e aroma de perfume barato, promovendo um verdadeiro tributo ao Rock n’ Roll em meio a seu show, numa sintonia biunívoca com seu público, deflagrando uma festa que exige traje roqueiro à rigor!

Anúncios

E aí? Curtiu? Conte-nos o que achou desta postagem, mas seja educado, por favor!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s